SOU EMPREENDEDOR?

Mais do que nunca precisamos desenvolver nossa aptidão para empreender, seja pela falta de empregos mesmo, por desejar ser dono do seu trabalho, ou até porque as empresas esperam profissionais que fazem acontecer. O primeiro passo é conhecer seu perfil, se mais ousado ou mais maratonista, para não errar na escolha do tipo de negócio. Qualquer que seja a motivação ou o tipo de negócio, ele sempre deverá atender necessidades (problemas, carências) e/ ou desejos (aspirações, explícitas ou não), para assim atrair interessados e se sustentar. Essa é a equação básica do negócio: agregar valor (benefício x custo percebidos) para capturar valor (lucro, crescimento).
Você enxerga solução para um problema do mercado ou de um nicho? Ou está convicto que tem uma oportunidade de fazer algo melhor ou com mais atratividade? Se for o caso, possivelmente você já está pequisando o assunto, elaborando ideias e discutindo com outros para testar sua aceitação, com entusiasmo. Caso contrário, e se você honestamente não gosta de mudanças e riscos, não tem perseverança e resiliência para enfrentar barreiras, talvez fique melhor como empregado mesmo, com responsabilidades mais limitadas e menos perturbação. Mas sempre é tempo de descobrir e aprender, pela vocação ou pela necessidade!

Você tem um Modelo de Gestão?

Uma brilhante ideia de negócio, implementada com uma grande combinação de recursos e organização, deve produzir bons resultados. No entanto, os resultados tendem a piorar, ou podem até tornar-se inviável como o tempo passa. Mudanças inevitáveis no contexto externo e nas condições internas trazem desalinhamento entre mercado, estratégia e operação, assim como recursos e atividades precisam de coordenação para responder efetivamente a clientes e necessidades de negócios. Esta dinâmica para manter o foco e melhorar continuamente a capacidade da empresa para gerar mais valor, com base nos princípios e finalidade estabelecida, configura o seu Modelo de Gestão. Quando o Modelo de Gestão não é definido ou apropriado, uma cultura de desempenho não cresce na empresa, os investimentos não são devidamente priorizados, as partes interessadas não aprendem a maximizar os resultados e os líderes não se desenvolvem.

O Poder da Conexão

Promover relações saudáveis no ambiente de trabalho através de valores colaborativos e um conjunto de reuniões, com clareza de objetivos e meios compartilhados para a sincronização, resolução de conflitos e aprendizado coletivo, é fundamental para enfrentar as crises. O poder de conexão entre as pessoas que compõem o negócio contribui com atitudes positivas e reforçar a capacidade da empresa para superar enormes desafios. São os caminhos neurais de uma organização inteligente!